Os advogados do ex-Presidente Luiz Inácio Lula Silva levaram à Procuradoria Geral da República nova denúncia do jornal Folha de S.Paulo, publicada em 27/04/2017, dando conta de que membros da Força Tarefa da Lava Jato estão forçando réus presos a fazerem referências ao nome do ex-Presidente como condição para que o acordo de delação seja aceito.

A reportagem afirma que “Palocci deve falar de Lula para fechar acordo”, revelando uma situação incompatível com a realidade dos fatos e com os requisitos necessários para a validade da delação premiada, especialmente aqueles previstos no art. 4o. da Lei 12.850/2013.

Ao final os advogados de Lula pedem ao Procurador Geral da República para “valorar a matéria em seu bojo veiculada e adotar, caso seja o caso de assim entender, as providências legais que julgar cabíveis para o restabelecimento da ordem jurídico-penal violada (artigo 129, incisos I e II, da Lex Mater)”.