Na mesma linha dos depoimentos de Alberto Yousseff e Dalton Avancini, testemunhas ouvidas na manhã de hoje (16/02), Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco, delatores da Lava Jato em liberdade, esclareceram agora à tarde que não têm conhecimento de supostas obras realizadas em um sítio em Atibaia e, ainda, que essas obras jamais foram tratadas em discussões relativas a contratos firmados pela Petrobras.
Também esclareceram que nenhum ato relativo a tratativas ou recebimento de vantagens indevidas sobre contratos da Petrobras ocorreu em Curitiba.
Esses depoimentos reforçam que a escolha do juiz Sérgio Moro para julgar a ação pelo Ministério Público não tem qualquer base real.
Reforçam, ainda, que Lula jamais praticou qualquer ato em benefício de empreiteiras durante o período em que ocupou o cargo de Presidente da República e tampouco recebeu qualquer vantagem indevida na forma de imóveis ou em reforma de imóveis. Lula também não é e jamais foi proprietário do sítio de Atibaia.
Lula e seus familiares frequentaram o local como convidados da família Bittar, em razão de uma amizade de mais de 40 anos.

 

CRISTIANO ZANIN MARTINS