Posição da Defesa sobre a negativa do desembargador João Pedro Gebran Neto, do TRF-4, ao pedido de destruição imediata dos áudios dos grampos ao telefone do escritório

Grampear o principal ramal de um escritório de advocacia, onde falam cerca de 30 advogados,  é uma gravíssima afronta ao Estado de Direito. As conversas gravadas devem ser destruídas. O próprio juiz que autorizou os grampos já havia reconhecido a necessidade dessa providência em 2016 perante o Supremo Tribunal Federal. Esperamos que o Tribunal Regional Federal da 4ª. Região possa corrigir essa situação o mais breve possível.

Cristiano Zanin Martins