Pela 3a. vez o Hospital Sírio-Libanês derruba versão de Glaucos da Costamarques sobre os recibos. Glaucos disse em seu depoimento que o advogado Roberto Teixeira o teria encontrado no hospital no final de 2015 para tratar dos recibos. O hospital, no entanto, informa que Teixeira não esteve por lá. O ofício juntado hoje ao processo responde negativamente ao período que foi ampliado pelo juiz Moro: o advogado não esteve no local durante o segundo semestre de 2015. Possivelmente por já saber desse terceiro ofício, de 18 de outubro, a Lava Jato apresentou ontem uma nova versão dos fatos. A Lava Jato muda as versões para acusar o ex-Presidente Lula à medida em que vai sendo desmentida.

Cristiano Zanin Martins

Íntegra da resposta do hospital